Buscar

O que o fenômeno de branqueamento dos corais nos diz sobre protetor solar?

Nós sabemos que vem crescendo a quantidade de químicas que causam no organismo uma alteração hormonal diminuindo muitas vezes nossa capacidade de reprodução. Um estudo realizado durante 15 anos com mais de 5 mil homens dinamarqueses na idade média de 19 anos mostrou que apenas 25% deles têm um "sêmen de qualidade". O estudo liderado por Niels Jorgensen foi focado nas químicas PFCs (perfluorados) e ftalatos, achados em plásticos e cosméticos. Suas pesquisas foram apresentadas na conferência anual da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia onde recomendava o abandono do protetor solar químico, para o desgosto das indústrias farmacêuticas e de cosméticos.


Contudo, antes de sair abandonando tudo, vamos entender o problema.


O principal culpado no problema da reprodução está no componente oxibenzona achado nos protetores solares químicos, sendo um disruptor hormonal conforme EWG. As últimas pesquisas apontam uma relação entre a exposição do corpo humano a oxibenzona e a redução da fertilidade no corpo.


Cientistas agora vêm dizendo que as esperanças de recuperação dos corais marinhos estão sendo frustradas devido ao fenômeno "branqueamento de corais" ou corais sem a capacidade de se reproduzir. Cherly M. Woodley, um biólogo marinho do NOAAS's National Ocean Service dos Estados Unidos, liderou um estudo feito com 327 corais da costa da Florida, Porto Rico e Ilhas Virgens. Foi visto que os corais da costa da Florida não tinham mais nenhuma capacidade reprodutiva, diferente dos corais das Ilhas Virgens onde tinham uma alta capacidade. As areas mais afetadas são aquelas mais turísticas e a origem do problema está ligada a oxibenzona dos protetores solares. Essa substância tem vários efeitos nos corais, causando danos em seu DNA. Logo que essa descoberta foi feita, um movimento de introduzir uma legislação que proíbe o uso de protetores químicos começou.



Hoje temos ao menos 8 locais que proíbem essa substância: Hawaii, Ilhas Virgens, Aruba, Key West (FL,USA), Bonaire, Reservas no México, Palau e Tailândia.





Já sabíamos que a oxibenzona não era boa para crianças, agora sabemos que para os homens também não é e muito menos para os nossos oceanos. A boa notícia é que temos uma alternativa.






Segue abaixo uma tabela publicada pela FDA (Anvisa dos EUA) sobre ingredientes em protetores solares.





Componente

Classificação Segurança a Saúde

- Oxibenzona (químico)

​NÃO

- Octinoxato (químico)

NÃO

- Homosalato (químico)

NÃO

- Octisalato (químico)

NÃO

- Octocrileno (químico)

NÃO

- Avobenzona (químico)

​NÃO

- Dióxido de Titânio (mineral)

SIM

- Óxido de Zinco (mineral)

SIM

Além de ser mais segura, a proteção mineral é muito mais efetiva também.


Segue algumas recomendação para um bom protetor solar seguro para você e ao Meio Ambiente.